Banner Portal
Protocole de atendimento psicológico na neonatologia
PDF

Palavras-chave

Prematuridade
Saúde mental
Psicoterapia
Neonatologia
Vínculo

Como Citar

ALBARACIN, Gabriela Cattel; SANTOS, Laise Potério dos; TEIXEIRA, Ana Luiza; RUBIO, Andreza Viviane; GONÇALVES, Mariana Gerzeli. Protocole de atendimento psicológico na neonatologia. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 8.Eixo 3, p. e0220029, 2023. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/17744. Acesso em: 20 abr. 2024.

Resumo

Introdução/Objetivo: A vivência da maternidade e paternidade na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ou Semi-Intensiva (SEMI) Neonatal é um momento de muitas angústias e incertezas para as famílias. Na literatura brasileira, são apontados sentimentos e reações relacionadas à internação: a aceitação da internação foi difícil e acompanhada de medo, angústia, ansiedade, mas também de fé e esperança; sugere-se a implementação de estratégias de apoio para enfrentamento da situação vivenciada (1). Diante da necessidade de estratégias de apoio, criamos o Protocolo de Atendimento da Psicologia na UTI/SEMI Neonatologia para oferta de apoio psicológico a todos os familiares dos pacientes. Metodologia: Relato de experiência de atendimentos psicológicos realizados com familiares de pacientes da UTI neonatal, através de atendimentos individuais, familiares e em grupo. O formato de atendimento é de psicoterapia breve e tem como objetivo o acolhimento dos sentimentos emergentes, favorecimento da elaboração da nova realidade, avaliação e fortalecimento do vínculo dos recursos de enfrentamento. Resultados: Todas as famílias recebem um contato da equipe de psicologia no primeiro dia útil após internação, através do whatsapp. Se a mãe estiver na PATOB, é oferecido acompanhamento na primeira visita ao RN para acolhimento inicial; às famílias provenientes de outro serviço também é oferecido. Esse primeiro contato, acompanhado pela psicologia quando possível, tem gerado maior confiança nos pais, que tem a possibilidade de se preparar para a visita e elaborar o primeiro contato, tão permeado por expectativas e fantasias (2). Durante internação, oferecemos atendimentos psicológicos individuais, familiares e em grupo, com proposta de psicoterapia breve, em um ambiente seguro e acolhedor para o compartilhamento das vivências. A oferta de atendimentos psicológicos à todas as famílias tem trazido contribuições importantes à família diante do cuidado da equipe multiprofissional, que compreende os aspectos biopsicossociais e, assim, pode oferecer atenção integral. Após a alta, a equipe de psicologia pode realizar transferência de cuidados em saúde mental para rede de atenção básica, quando disponível e desejado, ou seguir ambulatorialmente em nossa unidade. Casos de maior vulnerabilidade são articulados com redes do território durante internação e tem cuidado transicionado após alta. Conclusão: A oferta de atendimento psicológico é reconhecido na literatura (1, 2, 3) enquanto um importante suporte para familiares de pacientes da neonatologia. As contribuições da literatura respaldam a atuação da psicologia. Na psicoterapia, são avaliados os aspectos psicológicos do desejo (ou não) pela amamentação, histórico psiquiátrico anterior, rede de apoio, viabilidade das visitas, vínculo mãe-pai-bebê, compreensão do quadro, reação à internação etc, e são fortalecidos os recursos de enfrentamento.

PDF

Referências

ARRUDA, Caroline Passos; GOMES, Giovana Calcagno; JULIANO, Laís Farias; NORNBERG, Pâmela Kath de Oliveira; OLIVEIRA, Stella Minasi de; NICOLETTI, Manoela Cunha. Reações e sentimentos da família frente à internação do recém-nascido na unidade neonatal. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 2019. 11(15), e1444.

FLECK, Adrian; PICCININI, César Augusto. O bebê imaginário e o bebê real no contexto da prematuridade: do nascimento ao 3º mês após a alta. Aletheia [online]. 2013, n.40 [citado 2022-08-15], pp. 14-30. ISSN 1413-0394.

SCHIAVO, Rafaela de Almeida et al. Saúde emocional materna e prematuridade: influência sobre o desenvolvimento de bebês aos três meses. Pensando fam. [online]. 2021, vol.25, n.2 [citado 2022-08-15], pp. 98-113. ISSN 1679-494X.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Gabriela Cattel Albaracin, Laise Potério dos Santos, Ana Luiza Teixeira, Andreza Viviane Rubio, Mariana Gerzeli Gonçalves

Downloads

Não há dados estatísticos.