Banner Portal
Perspectivas e ações da gestão do serviço social CAISM /UNICAMP em tempos de pandemia da Covid-19
PDF

Palavras-chave

Assistente social
Gestão
Covid-19

Como Citar

FERREIRA, Cristhiane. Perspectivas e ações da gestão do serviço social CAISM /UNICAMP em tempos de pandemia da Covid-19. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 8.Eixo 4, p. eo220014, 2023. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/17718. Acesso em: 14 jun. 2024.

Resumo

Introdução/Objetivo: As ações cotidianas dos assistentes sociais incidem nas consequências da questão social, na perspectiva da garantia efetiva de direitos da população em situações de vulnerabilidade social. Na área da Saúde Pública, é prerrogativa do assistente social compreender o conceito de saúde e os fundamentos do Sistema Único de Saúde-SUS, preconizando a humanização dos atendimentos. Entre as atividades desenvolvidas consiste a gestão dos serviços e coordenação das equipes de assistentes sociais, estabelecidos no Código de Ética da profissão Lei 8662/93, no Art. 4º das Competências do Assistente Social: parágrafo X - planejamento, organização e administração de Serviços Sociais e de Unidade de Serviço Social. Metodologia: Para o gestor do Serviço Social do CAISM, considerando a gravidade da situação, foi necessária a reorganização dos fluxos de atendimento, considerando as orientações da Instituição e a redução de profissionais assistentes sociais na equipe. Resultados: Durante a pandemia, o gestor assistente social desenvolveu suas atribuições, associando assistência e gestão, na perspectiva de novas formas de organização do trabalho para atender as necessidades do grupo de profissionais, dos usuários e da instituição. Atualmente o momento que o mundo atravessa com a pandemia do coronavirus, exige de cada pessoa, cada profissional, cada coordenador, especialmente os da saúde, novas posturas, novos olhares, novas formas de vida. Os desafios que essa pandemia trouxe para os cientistas, para os profissionais e para as pessoas é uma experiência jamais vivenciada, e que exige de cada um uma parcela significa de prédisposição interna para o inicio de prováveis mudanças na construção de novas relações pessoais e em grupo. Para o gestor do Serviço Social do CAISM, a realidade exigiu repensar as atividades, pois um adversário invisível passa a circular, e exige uma força tarefa para a reorganização dos fluxos de atendimento dentro do Hospital em caráter de urgência, considerando as necessidades e as orientações da Instituição. Conclusão: Através de metodologia específica da profissão, foi possível desenvolver o cuidado com os integrantes da equipe de assistentes sociais, reorganizando as atividades, acentuando a sensibilidade para a escuta, para tomada decisões e encaminhamentos, priorizando as urgências e necessidades das pessoas atendidas para garantia e efetivação de direitos.

PDF

Referências

Constituição da República Federativa do Brasil, 1988. Conselho Federal de Assistentes Social. Resolução n.º 273/93. Ministério da Saúde.

Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº287, de 08 de outubro de 1998. CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO - CRESS 9ª Região/SP.

IAMAMOTO, M. V. CARVALHO, R. de. Relações Sociais e Serviço Social no Brasil: uma interpretação histórica metodológica.

FREITAS, A.R.R.; NAPIMOGA, M.; DONALISIO, M.R. Análise da gravidade da pandemia de Covid-19.

Organização Mundial da Saúde. PARÂMETROS PARA A ATUAÇÃO DE ASSISTENTES SOCIAIS NA SAÚDE.

SODRÉ, F. Serviço Social e o campo da saúde: para além de plantões e encaminhamentos.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Cristhiane Ferreira

Downloads

Não há dados estatísticos.