Banner Portal
Panorama da comunicação em cuidados paliativos
PDF

Palavras-chave

Comunicação em Saúde
Oncologia
cuidados paliativos

Como Citar

TEIXEIRA, Ana Luiza; CARVALHO, Marielle Cristina Ribeiro de; SANTOS, Natália Vieira. Panorama da comunicação em cuidados paliativos: uma revisão integrativa da Literatura. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 8.Eixo 2, p. e0220816, 2023. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/17700. Acesso em: 20 abr. 2024.

Resumo

Introdução/Objetivo: A comunicação é essencial em todas as áreas dos cuidados de saúde, envolve muito mais que um processo de informação e sim compreensão mútua, apoio, enfrentamento de questões difíceis e dolorosas, além de auxiliar no enfrentamento da situação estressora, sendo um componente essencial do cuidado. Portanto, sabe-se que a comunicação é um instrumento de suma importância na prática de Cuidados Paliativos (Silva e Araújo, 2012). O objetivo desta pesquisa foi mapear as principais reflexões sobre a comunicação em cuidados paliativos oncológicos. Metodologia: Trata-se de um estudo de revisão integrativa da literatura, que é adequado para buscar consenso sobre alguma temática específica e sintetizar o conhecimento de uma dada área por meio da formulação de uma pergunta, identificação, seleção e avaliação crítica de estudos científicos contidos em bases de dados eletrônicas. Para a elaboração da questão norteadora, utilizou-se a estratégica PICO/PIO que representa um acrônimo para Paciente/Problema, Intervenção, Comparação e "Outcomes" (desfecho). Para o levantamento bibliográfico, foram utilizadas as bases de dados eletrônicas: Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) e Biblioteca Nacional de Medicina dos EUA (PUBMED). Resultados: A amostra final desta revisão foi constituída por 12 publicações selecionadas pelos critérios de inclusão do estudo. As principais reflexões encontradas a cerca da comunicação em Cuidados Paliativos Oncológicos referem-se ao fato de que profissionais de saúde se sentem mais competentes e preparados para comunicar notícias difíceis quando são preparados por meio de treinamentos de comunicação. Foi evidenciado também que a intervenção realizada desde o início do diagnóstico de uma doença que ameace a vida, favorece o indivíduo a participar ativamente de seu tratamento, com autonomia e em conjunto com seus familiares, facilitando assim a adesão e compreensão da doença e tratamento, bem como da comunicação médico-paciente-família. Conclusão: O estudo evidenciou um panorama da comunicação em Cuidados Paliativos Oncológicos entre os membros das equipes multiprofissionais, como também entre a equipe de saúde e a unidade de cuidados - paciente e família, favorecendo subsídios para o debate sobre a importância de estratégias e intervenções de comunicação em cuidados paliativos de forma sensível, praticando a empatia e a compaixão.

PDF

Referências

: SILVA, Maria Julia Paes; ARAÚJO, Mônica Martins Trovo. Comunicação em Cuidados Paliativos. In: CARVALHO, R. T.; PARSONS, H. A. (Org.) Manual de Cuidados Paliativos. São Paulo: Academia Nacional de Cuidados Paliativos (ANCP), 2012. p.75-85.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Ana Luiza Teixeira, Marielle Cristina Ribeiro de Carvalho, Natália Vieira Santos

Downloads

Não há dados estatísticos.