Banner Portal
Jardim medicinal de saberes ancestrais e científicos na casa do lago UNICAMP
PDF

Palavras-chave

Jardim medicinal
Saberes ancestrais e científicos

Como Citar

MARTINHAGO, Rosangela Maria Galante; DI BLÁSIO, Silvana; CAVALCANTI, Flávia de Moraes Salles Costa. Jardim medicinal de saberes ancestrais e científicos na casa do lago UNICAMP. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 8.Eixo 3, p. e0220002, 2023. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/17668. Acesso em: 18 jul. 2024.

Resumo

Introdução/Objetivo: O Projeto Jardim Medicinal de saberes ancestrais foi criado no Espaço Cultural Casa do Lago da Unicamp no 1º semestre de 2022. Teve início com a oficina “Cultivo de Plantas Medicinais, Conhecimentos Ancestrais & Científicos”, ministrada pelos professores doutores João Ernesto de Carvalho – docente da FCF/UNICAMP e Mariana Nagle dos Reis – engenheira agrícola. O objetivo do projeto foi reverenciar a ancestralidade indígena no uso e cultivo das plantas medicinais e proporcionar aos participantes a troca de conhecimentos e experiências sobre a história das ervas medicinais mais utilizadas e estudadas cientificamente. Os canteiros receberam pintura artística e cultural das etnias indígenas, Kuikuro, Dessano e Kariri Xocó Bokuyá, sob orientação da artista plástica Silvia Matos. Metodologia: Construção de 3 canteiros suspensos e 1 mandala infantil; Aproveitamento dos resíduos orgânicos nos canteiros e utilização de recipientes descartáveis para o plantio das mudas; criação do berçário de mudas; Pinturas indígenas nos canteiros suspensos; Plantio das mudas; Divulgação no canal do Youtube da Casa do Lago (live). Produção de vídeo com entrevistas dos participantes do projeto. Resultados: O projeto atendeu alunos, funcionários, docentes da Universidade e a comunidade externa e pode ser replicado como um projeto de extensão comunitária. Compreende a construção de 3 canteiros suspensos, uma mandala infantil e berçário de mudas instalados na área externa da Casa do Lago. O desenho foi projetado pela Mariana Nagle dos Reis, além do sistema de irrigação nos canteiros. Para harmonizar os canteiros com o paisagismo da Casa do Lago convidamos a artista plástica Sílvia Matos, do Atelier Criatividade, responsável pela doação do “Painel Existência”, a Casa do Lago em 1994, para coordenar a pintura indígena nos canteiros respeitando a criação de cada etnia. O curso consolidou uma matriz de atividades culturais e iniciativas de reverências aos conhecimentos ancestrais: utilização das ervas medicinais na preparação de chás, gastronomia, contação de histórias, feiras de artesanato e apresentações culturais indígenas. A Coordenação da Casa do Lago, a PROEC, a Diretoria de Cultura, apoiaram desde o início o projeto disponibilizando os meios necessários para sua concretização. Parcerias importantes: Prefeitura Universitária (Divisão de Manutenção/Divisão do Meio Ambiente) e a Secretaria Executiva de Comunicação da Unicamp. Conclusão: O projeto se materializou a partir da construção dos canteiros e da mandala infantil e terá desdobramentos importantes nos próximos semestres, ampliando para a participação do público infantil. Além dos conhecimentos ancestrais das ervas medicinais, a pintura indígena nos canteiros, das etnias Kuikuro, Dessano e Kariri Xocó Bokuyá registrou a arte e cultura dos povos originários das regiões norte e nordeste do Brasil. O jardim medicinal compõe o acervo permanente da Casa do Lago.

PDF

Referências

CARVALHO, João Ernesto de; REIS, Mariana Nagle dos. Plantas medicinais. In: FLORIANO, Isabel Cristina Araújo (org.). Programa Universidade da Unicamp: história, desafios, relatos e conquistas. Campinas, SP: UNICAMP, 2021. Pt.5, Cap.6, p. 426-439. Disponível em:https://bit.ly/3L6xQS2. Acesso em: 08 mar. 2023.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Rosangela Maria Galante Martinhago, Flávia de Moraes Salles Costa Cavalcanti Silvana Di Blásio,

Downloads

Não há dados estatísticos.