ISSN 2447-746X
DOI: 10.20888/ridpher.v7i00.16075
1
Rev. Iberoam. Patrim. Histórico-Educativo, Campinas (SP), v. 7, p. 1-16, e021038, 2021.
Ridphe_R
FACULDADE DE EDUCAÇÃO DA USP: UM RETRATO E ALGUMA MEMÓRIA
Maria Cecilia Cortez Christiano de Souza
Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, Brasil
mccs@usp.br
RESUMO
Este artigo procura contemplar a crião da Faculdade de Educação da USP em 1970, tendo
como fio narrativo material memorialístico produzido pela autora. A partir daí, objetiva
contextualizar a emancipação da Faculdade de Educação da matriz original, a Faculdade de
Filosofia, Ciências e Letras da USP. Tendo como pano de fundo o processo potico vivido pela
Universidade nos anos que antecederam e se seguiram à Reforma Universitária de 1968, discute
as repercussões no plano interno da do Departamento de Educação e da Faculdade de Educação,
relacionadas à devolução do Colégio de Aplicação à rede pública, bem como ao esvaziamento
do Centro Regional de Pesquisas Educacionais de São Paulo a partir de 1970.
Palavras-chave: Memória. Faculdade de Educação da USP. Colégio de Aplicação. Centro
Regional de Pesquisas Pedagógicas. Movimento estudantil.
FACULTAD DE EDUCACIÓN DE LA USP: UN RETRATO Y ALGUNA MEMORIA
RESUMEN
Este artículo busca contemplar la creación de la Facultad de Educación de la USP en 1970,
teniendo como hilo narrativo material conmemorativo elaborado por la autora. A partir de ahí,
pretende contextualizar la emancipación de la Facultad de Educación de la matriz original, la
Facultad de Filosofía, Ciencias y Letras de la USP. En el contexto del proceso potico vivido
por la Universidad en los años que precedieron y siguieron a la Reforma Universitaria de 1968,
se discuten las repercusiones internas del Departamento de Educación y de la Facultad de
Educación, relacionadas con el retorno de la Escuela de Aplicación a el sistema de educación
pública, así como el vaciando del Centro Regional de Investigaciones Educativas de São Paulo
a partir de 1970.
Palabras clave: Memoria. Facultad de Educación USP. Colegio de Aplicación. Centro
Regional de Investigación Pedagógica. Movimiento Estudiantil.
FACULTY OF EDUCATION OF USP: A PORTRAIT AND A FEW MEMORIES
ABSTRACT
This article seeks to address the creation of the Faculty of Education of USP in 1970, having as
narrative thread the memorialistic material produced by the author. From that point on, it aims
to contextualize the emancipation of the Faculty of Education from its original mold, the
Faculty of Philosophy, Sciences and Languages of USP. Having as background the political
process experienced by the University in the years preceding and following the University
Reform of 1968, it discusses the internal repercussions of the Department of Education and the
Faculty of Education, related to the return of the College of Application to the public system,
as well as to the emptying of the Regional Center of Educational Research of São Paulo from
1970 on.
ISSN 2447-746X
DOI: 10.20888/ridpher.v7i00.16075
2
Rev. Iberoam. Patrim. Histórico-Educativo, Campinas (SP), v. 7, p. 1-16, e021038, 2021.
Ridphe_R
Keywords: Memory. Faculty of Education of USP. College of Application. Regional Centre
for Educational Research. Students' movement.
LA FACULTÉ D'ÉDUCATION DE L'USP: UN PORTRAIT ET QUELQUES
SOUVENIRS
RÉSUMÉ
Cet article porte sur la création de la Faculté d’Éducation de l'USP en 1970, à partir de matériel
mémoriel de l'autrice. Il cherche à mettre en contexte l’émancipation de la Faculté d’Éducation
à l'égard de la Faculté de Philosophie, Sciences et Lettres de l'USP, dont elle était auparavant
un département. Il en tisse la toile de fond représentée par les évènements politiques qui ont
précédé la Réforme Universitaire de 1968. Comme répercussions de ceux-ci il met en relief le
transfert du collège d'Application au système public d'enseignement et la dissolution du Centre
Régional de Recherches Éducationnelles de São Paulo à partir de 1970.
Mots clés: Mémoire. Faculté d'Éducation de l'USP. Collège d'Application. Centre Régional de
Recherche en Éducation. Le mouvement des étudiants.
Na primeira foto oficial da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, em
25 de fevereiro de 1970, ao lado da professora Gilda de Lima e do professor Heládio Antunha,
estou eu, pouco à vontade, como representante dos alunos. Presidindo a congregação, na
cabeceira da grande mesa oval, José Querino Ribeiro, o professor titular mais antigo. Em frente,
os professores Carlos Correa Mascaro, Roque Spencer Maciel de Barros e aquele que seria o
primeiro diretor da Faculdade, Laerte Ramos de Carvalho.
De algum jeito, a formalidade da foto permanece em alguns escritos que falam da
fundação da Faculdade. Os resumos institucionais, por exemplo, referem-se a episódios
anteriores, como a incorporação do antigo Instituto de Educação à Universidade de São Paulo,
em 1934, e às mudanças sucessivas de nomes: Faculdade de Educação, Seção de Educação,
Seção de Pedagogia e Departamento de Educação. Outras vezes fazem valer para sua criação a
data da publicação no Diário Oficial, 16 de dezembro de 1969. A primeira congregação é então
descrita como aquela em que se passou aos trâmites burocráticos da transformação do
Departamento da Educação em Faculdade de Educação, das antigas cadeiras em departamentos,
bem como aquela em que se tratou do encaminhamento de uma lista tríplice de titulares para a
escolha do novo diretor e, finalmente, das gestões necessárias à reabertura do Colégio de
Aplicação da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras da USP. Ainda hoje, quando se
comemora, nos anos redondos, a Fundação da FEUSP, penso que o retrato talvez represente o
tipo de memória de que Freud falava, a memória encobridora ou a memória de tela, porque o
é fácil recordar esse tempo. No caso de haver muitas testemunhas e versões de um
acontecimento, é comum confrontá-las com a documentação escrita. Quando as testemunhas