Apresentação - Erosão das democracias latino-americanas

a ascensão política dos cristãos

Palavras-chave: Democracia, Cristãos, Conservadorismo

Resumo

Assumido o cenário de erosão democrática instalado na América Latina vale a pena se perguntar: em que medida o fator religioso contribui para esse processo? Especificamente, como a atuação política dos evangélicos-pentecostais, cada vez mais em ascensão na esfera pública no continente, participam nessa crise? Algumas das possíveis respostas parecem estar esboçadas tanto no artigo de Renée de la Torre Castellanos, “Genealogia de los movimientos religiosos conservadores y la política en México”, como em “Hermano no vota al Hermano” de José Luis Pérez Guadalupe, e ainda em “Ola onservadora y surgimiento de una nueva derecha cristiana brasileña? La coyuntura pos-impeachment en Brasil” de Joanildo Burity.

Biografia do Autor

Brenda Carranza, Universidade Estadual de Campinas

Professora e pesquisadora colaboradora do Departamento de Antropologia Social da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Referências

ALONSO, Angela. A comunidade moral bolsonarista. Democracia em risco: 22 ensaios sobre o Brasil de hoje. São Paulo: Companhia das Letras, pp. 52-71, 2019.

ALMEIDA, Ronaldo. A onda quebrada – evangélicos e conservadorismo. Cadernos Pagu, Campinas, 50 (e175001), 2017.

BURITY, Joanildo. Minoritarização, glocalização e política: para uma pequena teoria da translocalização religiosa. Cadernos de Estudos Sociais, 30 (2), Jul-Dez, pp. 31-73, 2015.

CAMURÇA, Marcelo Ayres. Um poder evangélico no Estado Brasileiro? Mobilização eleitoral, atuação parlamentar e presença no governo Bolsonaro. Numpem, 12 (25), pp.82-104, 2020.

CARRANZA, Brenda. Modus operandi político de evangélicos e católicos: consolidações e inflexões. Debates do NER, UFRGS, 2 (32), pp. 87-116, 2017.

FAUSTO, Boris. A queda do foguete. Democracia em risco: 22 ensaios sobre o Brasil de hoje. São Paulo: Companhia das Letras, pp. 136-146, 2019.

GARMA, Carlos Navarro. Buscando el espíritu: pentecostalismo en Iztapalapa y la ciudade de México. México: Universidad Autónoma Metropolitana, Iztapalapa, 2004.

GUADALUPE, José Luis Pérez. Evangélicos y poder en América Latina. Lima: Konrad Adenauer Stiftung (KAS); Instituto de Estudios Social Cristianos (IESC), 2019.

GUADALUPE, José Luis Pérez. Entre Dios y el César: el impacto político de los evangélicos en el Perú y América Latina. Lima: Konrad Adenauer Stiftung (KAS); Instituto de Estudios Social Cristianos (IESC), 2017.

INFORME 2018, Corporación Latinobarómetro, banco de datos en línea. Chile, 2018.

KAHHAT, Farid. El eterno retorno: la derecha radical en el mundo contemporáneo. Lima, Perú: Editorial Planeta, 2019.

LACERDA, Marina Basso. Neoconservadorismo de periferia: articulação familista, punitiva e neoliberal na Câmara dos Deputados. Tese. Programa Pós-Graduação Ciência Política da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Instituto de Estudos Sociais e Políticos, 2018.

LACLAU, Ricardo. La razón populista. México/Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2011.

LAGO, Marta. El fin de la tercera ola de las democracias. Informe Latinobarómetro, 2018.

LENER, Celina. A mentalidade conservadora no Brasil: uma análise da interação política em redes sociais digitais. Tese. Programa de Pós-Graduação em Ciências Humanas e Sociais, UFABC. São Bernardo do Campo, 2019.

LEVITSKY, Steven y ZIBLATT, Daniel. Como as democracias morrem. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

MARIANO, Ricardo y GERARDI Dirceu André. Eleições presidenciais na América Latina em 2018 e ativismo político de evangélicos conservadores. Revista USP, 120, pp.61-76, 2019.

MOUFFE, Chantal. Democracia liberal e cidadania. Em Joanildo BURITY e Maria das Dores CAMPOS MACHADO (org). Os votos de Deus: evangélicos, política e eleições no Brasil, pp. 16-28, 2006.

NUNES-ROSADO, Maria José y CARRANZA, Brenda. Fim de uma ordem: natureza, lei divina, feminismo. Horizonte, 17 (53), pp. 936-964, 2019.

ORO, Ari Pedro. Religião e eleições 2000 em Porto Alegre. Debates do NER, 2 (3), pp.9-70, 2003.

ORO, Ari Pedro; WYNARCZYK, Hilario. El pentecostalismo en América Latina. In: Alberto DA SILVA MOREIRA e Pino Lucá TROMBETTA (org.) Pentecostalismo globalizado. Goiânia: Ed. da PUC Goiás, pp. 32-46, 2015.

SEMÁN, Pablo. ¿Quiénes son? ¿Por qué crecen? ¿En qué creen? Nueva Sociedad 280, marzo-abril, pp. 26-46, 2019.

SINGER, André. Os sentidos do Lulismo: Reforma Gradual e Pacto Conservador. São Paulo: Cia. Das Letras, 2012.

SINGER, André. Autoritarismo furtivo. A Terra é Redonda, 13 junio 2020.

SINGER, André; VENTURINI, Gustavo (2019). Sismografia de um terremoto eleitoral. Democracia em risco: 22 ensaios sobre o Brasil de hoje. São Paulo: Companhia das Letras, pp. 355-371, 2019.

VAGGIONE, Juan Marco y MACHADO, Maria das Dores Campos. Religious Patterns of Neoconservatism in Latin America. Politics & Gender 16 (1), pp. 102-119, 2020.

VITAL-CUNHA, Christina, LOPES, Paulo Victor Leite y LUI, Janayna. Religião e política: Medos sociais, extremismo religioso e eleições 2014. Rio de Janeiro: Gráfica Stamppa, 2017.

WERZ, Klaus. Heterogenidad política del pentecostalismo. Margit ECKHOLT y Rodolfo VALENZUELA (eds.) Las Iglesias pentecostales y los movimientos carismáticos em Guatemala y América Central, como desafío para la Iglesia católica. Guatemala: Universidad Rafael Landívar, Editorial Cara Perens, pp. 49-65, 2019.

Publicado
2020-07-08
Como Citar
Carranza, B. (2020). Apresentação - Erosão das democracias latino-americanas: a ascensão política dos cristãos. Ciencias Sociales Y Religión/Ciências Sociais E Religião, 22, e020013. Recuperado de https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/csr/article/view/13752