O sonho e o desencanto

a viagem de um pai-de-santo de Porto Alegre para a província africana de Cabinda

  • Ari Pedro Oro Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Religiões afro-riograndenses, Pai Cleon de Oxalá, Cabinda

Resumo

Este artigo analisa a viagem do renomado Pai-de-santo Cleon de Oxalá, de Porto Alegre, para a província africana de Cabinda, ocorrida em junho de 2012.  Era, para ele,  a realização do sonho de conhecer a terra dos seus ancestrais religiosos e o cumprimento da missão de trazer para a sua “casa” uma porção de terra de Cabinda, para selar simbolicamente o vínculo entre os dois espaços sagrados. Porém, a realização do sonho foi acompanhada do desencanto em relação à situação da religião “tradicional” cabinda em solo africano, o que conduziu  Pai Cleon a concluir que a verdadeira religião dos seus antepassados não está mais na África, mas no Rio Grande do Sul.

Biografia do Autor

Ari Pedro Oro, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professor Titular na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Doutor em Antropologia pela Universidade de Paris III - Sorbonne Nouvelle.

Referências

BARBOSA NETO, E. R. O batuque e a linha cruzada: variações sobre os sistemas etnolitúrgicos afro-brasileiros. Paper apresentado no 36o Encontro Anual da ANPOCS, no GT Novos modelos comparativos: investigações sobre coletivos afroindígenas, Caxambu, 2012.

BRAGA, R. G. Batuque Jêje-Ijexá em Porto Alegre. A música no Culto aos Orixás. Porto Alegre, FUMPROARTE, Secretaria Municipal da Cultura de Porto Alegre, 1998.

CAPONE, S. La quête de l ́Afrique dans le Candomblé. Pouvoir et tradition au Brésil. Paris, Karthala, 1999.

CORREA, N. O Batuque do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Editora da Universidade-UFRGS, 1992.

CORREA, N. Sob o signo da ameaça: conflito, poder e feitiço nas religiões afro-brasileiras. Tese de doutorado defendida na PUC/SP, 1998.

CORREA, N. Panorama das religiões afro-brasileiras do Rio Grande do Sul. In: ORO, A. P. (Org.). As religiões afro-brasileiras do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Ed. da Universidade, 1994, p. 9-43.

CORREA, N. Mãe Moça da Oxum: cotidiano e sociabilidade no batuque gaúcho. In: GONÇALVES DA SILVA, V. (Org.). Caminhos da Alma. Memória afro-religiosa. São Paulo, Summus, 2002, p. 237-265.

FRIGERIO, Alejandro. Como los porteños conocieron a los orixás: la expansión de las religiones afrobrasileñas en Buenos Aires. In: PICOTTI, D. El negro en Argentina: Presencia y negación. Buenos Aires: Editores de América Latina, 2001, p. 301-318.

FRIGERIO, A. Reafricanização em Diásporas Religiosas Secundárias: a construção de uma religião mundial. In: Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, v. 25, n. 2, 2005, p. 136- 160.

GIBBAL, J. M. Impressões sobre os cultos afro-brasileiros de Porto Alegre. In: ORO, A. P. (Org.). As religiões afro-brasileiras do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Ed. da Universidade. 1994, p. 104-107.

GONÇALVES DA SILVA, V. Orixás da Metrópole. Petrópolis/Rio de Janeiro: Vozes, 1995.

GONÇALVES DA SILVA, V. (Org). Caminhos da Alma. Memória afro-religiosa. São Paulo, Summus, 2002.

LEISTNER, R. M. Religiões de matriz africana do Rio Grande do Sul: entre conflitos, projetos políticos e estratégias de legitimação. In: Debates do NER, Porto Alegre, n. 23 2013, p. 219-243.

LOPES, E., Pai Eduardo de Xapanã. Memória de Pai Cleon. Patriarca da Nação Cabinda, 2012.

MACHADO, C. F. Lugares e objetos de memória no Batuque gaúcho. In: Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, 35(1): 2015, P. 107-120.

MAKA ANGOLA. O Estado e a religião em Angola. 24/4/2014.

MARY, André. Le bricolage africain des héros chrétiens. Paris, Cerf, 2000.

MELLO, M. A. L. Reviras, batuques e carnavais. A cultura de resistência dos escravos em Pelotas. Pelotas, UFPEL, 1994.

NUNES DA SILVA, M. H. O Príncipe Custódio e a religião afro-gaúcha. Recife. Dissertação de Mestrado em Antropologia, defendida na Universidade Federal de Pernambuco, 1999.

ORO, A. P. Axé Mercosul. As religiões afro-brasileiras nos países do Prata. Petrópolis, Ed. Vozes, 1999.

ORO, A. P. As religiões afro-brasileiras do Rio Grande do Sul. In: Debates do NER (UFRGS), v. 13, 2008, p. 9-24.

ORO, A. P. Religiões afro-brasileiras do Rio Grande do Sul: passado e presente. In: Estudos Afro-Asiáticos, Salvador, v. 24, n.2, 2002, p. 345-384.

ORO, A. P. O atual campo afro-religioso gaúcho. In: Civitas. Porto Alegre, V. 12, 2012, p. 556-565.

ORO, A. P. e ANJOS, J. C. G. Festa de Nossa Senhora dos Navegantes. Sincretismo entre Maria e Iemanjá. Porto Alegre, Editora da Cidade/IEL, 2008.

PERNAMBUCO, A. O. As religiões africanas no Rio Grande do Sul. In: Debates do NER, Porto Alegre, ano 19, n. 35, 2019, p. 39-47.

PI HUGARTE, Transnacionalização da religião no Cone-Sul: o caso do Uruguai. In: A. p. ORO e C. A. STEIL (Org). Religião e globalização. Petrópolis, Vozes, 1997, p. 201-218.

PRANDI, R. Os Candomblés de São Paulo. São Paulo: Hucitec – Edusp, 1991.

RAMOS, I. P. Cabinda, a riqueza e o vexame. In: Jornal Angonotícias, 10/08/2005.

RODRIGUES, M. L. As seitas religiosas em Angola. 2009.

Publicado
2020-07-27
Como Citar
Oro, A. P. (2020). O sonho e o desencanto: a viagem de um pai-de-santo de Porto Alegre para a província africana de Cabinda. Ciencias Sociales Y Religión/Ciências Sociais E Religião, 22, e020018. Recuperado de https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/csr/article/view/13509

Os artigos mais visualizados do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>