Controvérsias sobre o início da vida no STF

em defesa dos direitos de fetos em embrios humanos

  • Lilian Sales Universidade Federal de São Paulo
Palavras-chave: Controvérsias públicas, Igreja Católica, Movimentos

Resumo

Esse artigo analisa duas controvérsias públicas relacionadas à “defesa da vida humana” estabelecidas em torno de duas ações julgadas pelo Superior Tribunal Federal, a primeiro referente à liberação das pesquisas com células tronco embrionárias e a segunda sobre a possibilidade da antecipação do parto de fetos anencéfalos. A defesa da vida humana desde a concepção é o argumento em torno do qual se organizaram os grupos contrários às duas ações. Nesse artigo identificaremos atores centrais envolvidos nas duas controvérsias e analisaremos as estratégias utilizadas por eles para construírem a adesão a suas “causas” – favoráveis ou contrárias às ações em julgamento.

Biografia do Autor

Lilian Sales, Universidade Federal de São Paulo

Professora Adjunta de Antropologia na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Doutora em Ciência Social (Antropologia Social) pela Universidade de São Paulo (USP).

Referências

BÉRAUD, Céline; PORTIER, Philippe. Métamorphoses catholiques. Acteurs, enjeux et mobilisations depuis le mariage pour tous, Paris: Éditions de la Maison des sciences de l’homme, 2015.

CAMPOS MACHADO, Maria das Dores. “Religião e Política no Brasil Contemporâneo: uma análise de pentecostais e carismáticos católicos”, Religião e Sociedade, 35(2), pp. 45-72, 2015.

CEFAI, Daniel; PASQUIER, Dominique. Les sens du public. Paris: PUF, 2003.

CLAVERIE, Elisabeth. Les guerres de la Vierge: une anthropologie des apparitions. Paris: Gallimard, 2003.

DALMOLIN, Aline. Aborto, Igreja Católica e movimento feminista nos anos oitenta: uma cruzada de valores. X Seminário de Estudos Históricos. FEEVALE: Rio Grande do Sul, 2011.

DUARTE, Luis Fernando Dias. “Aonde Caminha a Moralidade”, Cadernos Pagu, 41, pp. 19-27, 2013.

FRANKLIN, Sarah. “Fetal Fascinations: New Dimensions to the Medical-Scientific Construction of Fetal Personhood”. FRANKLIN, Sarah; LURY, Celia; STACY, Jackie (Eds.) Off-Centre: Feminism and Cultural Studies. Lancaster: Harper Collins, pp. 190-205, 1991.

GARBAGNOLI, Sara; PREARO, Maximo. La croisade anti-genre. Du Vatican aux manifs pour tous. Paris: Editions Textual, 2017.

HARRIS, Ruth. Lourdes. Paris : Jean Claude Lattes,2001.

LATOUR, Bruno. “La cartographie des controverses”. In Technology Review, pp. 82-83, 2007.

LUNA, Naara. “Embriões no Supremo: Ética, Religião e Ciência no Tribunal”, Teoria e Sociedade, 18, pp.168-203,2010.

LUNA, Naara. “O direito à vida no contexto do aborto e da pesquisa com células-tronco embrionárias: disputas de agentes e valores religiosos em um Estado laico”, Religião & Sociedade, 33 (1), pp. 71-97, 2013.

PROCHASSON Christophe.“Les espaces de la controverse. Roland Barthes contre Raymond Picard : um prélude à Mai 68”, Mil neuf cent. Revue d’histoire intellectuelle, 1 (25), pp. 141-155, 2007.

RANQUETAT, César Alberto. “Ciência e Religião: os debates em torno das pesquisas com células-tronco embrionárias no Brasil”, Ciências Sociais e Religião, 12 (13), pp. 37-56, 2011.

REZENDE, Patricia Jimenez. Movimentos sociais e contra-movimentos: mobilizações anti-aborto no Brasil contemporâneo. 2016. 144 f. Dissertação (Mestrado) - Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Guarulhos, 2016.

ROCHA, Maria. “Discussões políticas e decisões no parlamento”, ÁVILA, Maria; FERREIRA, Verônica; PORTELLA, Ana (Orgs). Novas legalidades e democratização da vida social: família, sexualidade e aborto. Rio de Janeiro, Garamont, 2005.

RUIBAL, Alba. “Feminismo frente a fundamentalismos religiosos: mobilização e contra-mobilização”, Revista Brasileira de Ciência Política, 14, pp. 111-138, 2014.

SALES, Lilian “A controvérsia em torno da liberação de pesquisas com células-tronco embrionárias no Brasil: posições e argumentos dos representantes da Igreja Católica”, Revista de Antropologia, 57(1), pp. 179-213, 2014.

SALES, Lilian. “A controvérsia em torno da liberação de pesquisas com células-tronco embrionárias: justificativas e moralidades”, MONTERO, Paula (Org). Religiões e Controvérsias Públicas: Experiências, Práticas Sociais e Discursos. São Paulo: Terceiro Nome, 2015.

SALES, Lilian. “As curas Milagrosas da Virgem em Lourdes: A controvérsia médico-religiosa”. Anuário Antropológico v. 41, n. 1: 153-172, 2016.

THÉRY, Irène. Des humains comme lês autres. Bioéthique, anonymat et genre du don. Paris: Éditions de I’EHESS, 2010.

TURINNA, Isaco. “Le Magistere post-conciliare face au Biopouvoir”, BERAUD, C., GUGELOT Frédéric, SAINT MARTIN Isabelle. (dirs.), Catholicisme em tension, Paris: Éditions de l’EHESS, 2012.

VENTURINI, Tommaso. “Diving in magma: How to explore controversies with actor-network theory”, Public Understanding of Science, 19 (3), pp. 258-273, 2009.

Publicado
2020-03-09
Como Citar
Sales, L. (2020). Controvérsias sobre o início da vida no STF: em defesa dos direitos de fetos em embrios humanos. Ciencias Sociales Y Religión/Ciências Sociais E Religião, 22, e020002. Recuperado de https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/csr/article/view/13318