La umbanda en la región metropolitana de Belo Horizonte

tradición y contemporaneidad

Autores/as

  • Anderson Marinho Maia Pontificia Universidad Católica de Minas Gerais
  • Amauri Carlos Ferreira Pontificia Universidad Católica de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.20396/csr.v21i00.12650

Palabras clave:

Umbanda, Narrativa, Historia oral, Memoria

Resumen

El objetivo de este artículo fue investigar las diferencias y similitudes de los cultos de umbanda a través de entrevistas en cuatro (4) terreiros (ubicados en Belo Horizonte y Contagem), además de la identidad de cada uno. Asociar Umbanda con el mito de muiraquitã nos permite comprender la unidad en la diversidad. La analogía con el mito representa los diferentes templos de Umbanda estudiados y busca informaciones recurrentes en la esfera micro/privada capaz de reflejar las prácticas umbandistas en la esfera macro/general, además de la importancia de respetar al otro y rescatar la memoria colectiva de diferentes narrativas. En el proceso de sincretismo de Umbanda, considerada una religión genuinamente brasileña, se notó que hubo pérdidas, adaptaciones y ganancias que generaron sus especificidades: la historia única de cada segmento en la formación de la historia de Umbanda.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Anderson Marinho Maia, Pontificia Universidad Católica de Minas Gerais

Doctor en Ciencias Sociales por la Pontificia Universidad Católica de Minas Gerais (PUC-MG).

Amauri Carlos Ferreira, Pontificia Universidad Católica de Minas Gerais

Doctor en Ciencias en Religión por la Universidad Metodista de São Paulo. Profesor adjunto de la Pontificia Universidad Católica de Minas Gerais (PUC-MG).

Citas

AGIER, Michel. Distúrbios identitários em tempos de globalização. Revista Mana. Rio de Janeiro, Scielo, v.7, n.2, out. 2001. p.9-33.

BANAGGIA, Gabriel. Os estudos sobre religiões de matriz africana no Brasil: tradições acadêmicas e etnografia. You Tube: Conferências (PPGAS/MN/UFRJ).

BASTIDE, Roger. As religiões africanas no Brasil. São Paulo: Pioneira, 1971.

BIRMAN, Patrícia. O que é umbanda. São Paulo: Brasiliense, 1985.

BROWN, Diana. Uma história da umbanda no Rio. In: CADERNOS ISER. Umbanda e política. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1985. p. 9-42.

BRUMANA, Fernando G.; MARTÍNEZ, Elda G. Marginalia sagrada. São Paulo: Editora da UNICAMP, 1991

CAMARGO, Candido Procópio Ferreira de. Kardecismo e umbanda: uma interpretação sociológica. São Paulo: Pioneira, 1961.

CARDOSO, Alexandre Antônio. Os alquimistas já chegaram: uma interpretação sociológica das práticas mágicas em Belo Horizonte. 1999. 232 f. Tese. (Doutorado) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas de São Paulo (USP), São Paulo.

CARNEIRO, Edison. Antologia do Negro Brasileiro. São Paulo: Ediouro, 1990.

CARNEIRO, Edison. Negros Bantos: notas de etnografia religiosa e de folclore 3.ed.Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991.

CARNEIRO, João Luiz, Religiões afro-brasileiras: uma construção teológica. Petrópolis: Vozes, 2014.

CHAGAS, Mário. O pai de Macunaíma e o patrimônio espiritual. In: ABREU, Regina (Org.). Memória e patrimônio: ensaios contemporâneos. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

CONCONE, Maria Helena Vilas Boas. Umbanda: uma religião brasileira. São Paulo: FFLCH/USP, 1987.

DULCI, Luiz Soares. Momentos de uma capital centenária: 1987-1997. Belo Horizonte: Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, 1997.

DROOGES, André. E a umbanda? São Leopoldo: Editora Sinodal, 1985.

FERREIRA, Amauri Carlos. Ensino religioso nas fronteiras da ética: subsídios pedagógicos. Petrópolis: Vozes, 2001.

GIUMBELLI, Emerson. Símbolos religiosos em controvérsias. São Paulo: Terceiro nome, 2014.

GOLDMAN, Márcio. Os tambores dos mortos e os tambores dos vivos. Etnografia, antropologia e política em Ilhéus, Bahia. Revista Antropológica. São Paulo: USP, v. 46, n.2 , 2003. s.p.

GOLDMAN, Márcio. O dom da iniciação e o feito em religiões de matriz africana no Brasil. Revista Mana, v.18, n. 2, p. 269-288, 2012.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós- modernidade. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

HERVIEU-LÉGER, Danièle. O peregrino e o convertido: a religião em movimento. Petrópolis: Vozes, 2008.

KOGURUMA, Paulo. Conflitos do imaginário: a reelaboração das práticas e crenças afro-brasileiras na “metrópole do café”, 1890- 1920. São Paulo: Annablume (FAPESP), 2001.

HOBSBAWM, Eric J. Sobre história: ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

MAIA, Anderson Marinho. A manifestação da Umbanda na região metropolitana de Belo Horizonte: da tradição à contemporaneidade. 2011. 181 f. Dissertação. (Mestrado em Ciências da Religião) Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte.

MALANDRINO. Brígida Carla. Umbanda: mudanças e permanências. Uma análise simbólica. São Paulo: Educ, 2006.

MATTA, Roberto da. Relativizando. Petropólis: Vozes, 1981.

NEGRÃO, Lísias Nogueira. Entre a cruz e a encruzilhada: formação do campo umbandista em são Paulo. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1996.

ORTIZ, Renato. Cultura brasileira e identidadenacional: umbanda e sociedade brasileira. 5. ed. São Paulo: Brasiliense, 2005.

ORTIZ, Renato. A morte branca do feiticeiro negro: umbanda e sociedade brasileira. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

ORTIZ, Renato. A morte branca do feiticeiro negro: umbanda e sociedade brasileira. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

RAMOS, Arthur. O negro brasileiro. 5 ed. Rio de Janeiro: Graphia, 2001. Série Memória brasileira.

RHODE, Bruno. Umbanda, uma Religião que não nasceu: breves considerações sobre uma tendência dominante do universo umbandista. Revista de Estudos da Religião, p.77-96, mar.2009.

SILVA, Vagner Gonçalves da. Orixás da metrópole. Petrópolis: Vozes, 1995.

SILVA, Vagner Gonçalves da. Candomblé e umbanda: caminhos da devoção brasileira. 2. ed. São Paulo: Selo Negro, 2005.

TRINDADE, Liana. Exu: perigo e poder. São Paulo: Ícone Editora, 1985.

TRINDADE, Liana. Conflitos sociais e magia. São Paulo: Hucitec, 2000.

TRINDADE, Liana; COELHO, Lúcia. Exu: o homem e o mito. São Paulo: Terceira margem, 2006.

VICTORIANO, Benedicto Anselmo Domingos. O prestígio religioso na umbanda: dramatização e poder. São Paulo: Annablume, 2005.

Publicado

2019-12-31

Cómo citar

Maia, A. M., & Ferreira, A. C. (2019). La umbanda en la región metropolitana de Belo Horizonte: tradición y contemporaneidad. Ciencias Sociales Y Religión/Ciências Sociais E Religião, 21(00), e019013. https://doi.org/10.20396/csr.v21i00.12650

Número

Sección

Artículos