La mujer como agente religioso en lo tiempo de la política

pastoras de la Iglesia del Evangelio Cuadrangular en las elecciones de 2016 en Campo Mourão

Autores/as

  • Rafael Almeida Callegari Universidade Estadual do Paraná
  • Frank Antônio Mezzomo Universidade Estadual do Paraná
  • Cristina Satiê de Oliveira Pátaro Universidade Estadual do Paraná

Palabras clave:

Elección, Mujer, Iglesia del Evangelio Cuadrangular, Religión

Resumen

En una perspectiva interdisciplinaria, se investigó el escenario de superposición entre la religión y la política, en particular la participación femenina y evangélica en las elecciones para concejal en 2016, especialmente en lo que respecta a la activación de signos religiosos para construir el carisma ante el electorado y teniendo como el lugar de investiga el municipio de Campo Mourão-PR. Como extracto empírico se tiene la Pastora Jurema Portes, de la Iglesia del Evangelio Cuadrangular, que se presentó como una opción al electorado evangélico, actuando como agente religioso y utilizando un proyecto institucionalizado de la Iglesia para reforzar su capital político. El corpus documental consiste en entrevistas semiestructuradas y materiales de campaña puestos a disposición por la candidata en su perfil de red social. La investigación señala que el pertenecimiento a grupos minoritarios, el uso de la presencia institucionalizada de su denominación religiosa y la activación de signos religiosos en sus materiales y discursos no son suficientes para el éxito electoral, sino para el éxito político, en el que se destaca la importancia de la figura femenina y evangélica.

Biografía del autor/a

Rafael Almeida Callegari, Universidade Estadual do Paraná

Maestro en Sociedad y Desenvolvimento por la Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR). Profesor de Direito Constitucional e Internacional do Centro Universitário Integrado de Campo Mourão - PR.

Frank Antônio Mezzomo, Universidade Estadual do Paraná

Profesor de la Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR). Doctor en Historia Cultural por la Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Cristina Satiê de Oliveira Pátaro, Universidade Estadual do Paraná

Profesora en la Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR). Doctora en Educación por la Universidade de São Paulo (USP).

Citas

BERGER, Peter. Os múltiplos altares da modernidade: rumo a um paradigma da religião numa época pluralista. Petrópolis: Vozes, 2017.

BERGER, Peter. A dessecularização do mundo: uma visão global. Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, v. 21, n. 1, p. 9-24, 2000.

BOBBIO, Norberto. O futuro da democracia: uma defesa das regras do jogo. 6 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

BOHN, Simone Rodrigues. Contexto político-eleitoral, minorias religiosas e voto em pleitos presidenciais (2002-2006). Opinião Pública, Campinas, v. 13, n. 2, p. 366-387, nov. 2007.

BOHN, Simone Rodrigues. Evangélicos no Brasil: perfil socioeconômico, afinidades ideológicas e determinantes do comportamento eleitoral. Opinião Pública, Campinas, v. 10, n. 2, p. 288-338, out. 2004.

BRAGA, Sérgio; NICOLÁS, Maria Alejandra; BECHER, André Roberto. Clientelismo, internet e voto: personalismo e transferência de recursos nas campanhas online para vereador nas eleições de outubro de 2008 no Brasil. Opinião Pública, Campinas, v. 19, n. 1, p. 168-197, jun. 2013.

BURITY, Joanildo A. Políticas de minoritização religiosa e glocalização: notas para um estudo de redes religiosas de ativismo sócio-político transnacional. Cuerpos, emociones y sociedad, Córdoba, v. 7, n. 18, p. 19-30, ago./nov. 2005.

BURITY, Joanildo. A. Religião e política na fronteira: desinstitucionalização e deslocamento numa relação historicamente polêmica. Revista de Estudos da Religião, São Paulo, v. 4, n. 1, p. 27-45, 2001.

CALLEGARI, Rafael Almeida. Um campo político “não tão laicizado” e agentes religiosos “não muito políticos”: a Igreja do Evangelho Quadrangular no tempo da política. 2018, 142f. Dissertação (Mestrado Interdisciplinar em Sociedade e Desenvolvimento) – Universidade Estadual do Paraná, 2018.

CAMPOS, Leonildo Silveira. O projeto político de “Governo do Justo”: os recuos e avanços dos evangélicos nas eleições de 2006 e 2010 para a Câmara Federal. Debates do NER, Porto Alegre, ano 11, n. 18, p. 39-82, jul./dez. 2010.

CARDOZO CUNHA, Vanessa. O uso das cibernarrativas neopentecostais como estratégia política de Marcelo Crivella nas eleições municipais de 2016. Anais do 40o Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Curitiba: InterCom, setembro, 2017.

CERVI, Emerson Urizzi. O “Tempo da política” e a distribuição de recursos partidários: uma análise do HGPE. Revista em Debate, Belo Horizonte, v. 2, n. 8, p. 12-17, 2010.

DELOYE, Yves. Socialisation religieuse et comportement électoral en France. L'affaire des "catéchisme augmentés" (19e-20e siècles). Revue française de Science politique, Paris, 52a., n. 2-3, p. 179-199, jul./dez. 2002.

DUARTE, Tatiane dos Santos. A autoridade não vem do sexo, mas sim do Senhor: investidura religiosa e delegação política. Anais do ANPUH – XXV Simpósio Nacional de História, Fortaleza, 2009.

DUARTE DE SOUZA, Sandra. Mulheres evangélicas na política: tensionamentos entre o público e o privado. Horizonte, Belo Horizonte, v. 13, n. 39, p. 1261-1295, jul./set. 2015.

EUFRAZINO, Lara de Figueiredo. Marketing político e mídias sociais: as estratégias utilizadas no Facebook e twitter de Cássio Cunha Lima PSDB/PB, nas eleições de 2014. 2015, 134f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Mídia) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2015.

FONSECA, Alexandre Brasil Carvalho de. Secularização, pluralismo religioso e democracia no Brasil: um estudo sobre a participação dos principais atores evangélicos na política (1998-2001). 333f. Tese (Doutorado em Sociologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

FRESTON, Paul. Os protestantes e a política no Brasil: da constituinte ao impeachment. 303f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Universidade de Campinas, Campinas, 1993.

GIUMBELLI, Emerson. A presença do religioso no espaço público: modalidades no Brasil. Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, v. 2, n. 28, p. 80-101, 2008.

GOMES, Wilson. Nem anjos nem demônios. In: ANTONIAZZI, Alberto (coord.). Nem anjos nem demônios: interpretações sociológicas do pentecostalismo. Petrópolis: Vozes, 1996, p. 239-270.

KUSCHNIR, Karina. Antropologia e Política. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 22, n. 64, p. 163-167, 2007.

LATOUR, Bruno. Reagregando o social: uma introdução à teoria do ator-rede. Salvador: EDUFBA-EDUSC, 2012.

MACHADO, Mônica Sampaio; Nacif, Cristina Lontra. Evangélicos, política e espaço: novas estratégias rumo à Presidência da República. Geo Uerj, Rio de Janeiro, n. 19, p. 566-586, 2016.

MACHADO, Maria das Dores Campos. Política e religião: a participação dos evangélicos nas eleições. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

MACHADO, Maria das Dores Campos; FIGUEIREDO, Fabiana de Melo de. Gênero, Religião e Política: as evangélicas nas disputas eleitorais na cidade do Rio de Janeiro. Ciências Sociais e Religião, Porto Alegre, v. 4, n. 4, p. 125-148, out. 2002.

MACHADO NETO, Afonso Celso (coord.). Sociedade e história do Brasil: os primeiros tempos da República. Brasília: Instituto Teotônio Vilela, 2000.

MAIA, Eduardo Lopes Cabral. Os evangélicos e a política. Em Tese, Florianópolis, v. 2, n. 2, p. 91-112, ago./dez. 2006a.

MAIA, Eduardo Lopes Cabral. Religião e política: o fenômeno evangélico. 2006. 100 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia Política) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis 2006b.

MARIANO, Ricardo. Pentecostais e política no Brasil. Com Ciência Revista Eletrônica de Jornalismo Científico, Campinas, v. 65, 2005.

MARIANO, Ricardo. Expansão e ativismo político de grupos evangélicos conservadores: secularização e pluralismo em debate. Civitas, Porto Alegre, v. 16, n. 4, p. 710-728, 2016.

MARIANO, Ricardo. Laicidade à brasileira: católicos, pentecostais e laicos em disputa na esfera pública. Civitas, Porto Alegre, v. 11, n. 2, p. 238-258, maio/ago. 2011.

MARIANO, Ricardo. Expansão pentecostal no Brasil: o caso da Igreja Universal. Estudos Avançados, São Paulo, v. 18, n. 52, p. 121-138, set./dez. 2004.

MARIANO, Ricardo. Efeitos da Secularização do Estado, do pluralismo e do mercado religiosos sobre as igrejas pentecostais. Civitas, Porto Alegre, v. 3, n. 1, p. 111-125, jun. 2003.

MEIRELLES, Mauro. Nem sempre as coisas foram assim: ou dos (des)encantamentos do campo político e religioso frente as eleições de 2006. Debates do NER, Porto Alegre, v. 7, n. 10, p. 51-64, jul./dez. 2006.

MEZZOMO, Frank Antonio; PÁTARO, Cristina Satiê de Oliveira. Religião e Política: estratégias institucionais e acionamentos religiosos por candidatos evangélicos em eleições proporcionais (2008-2016). Rever, São Paulo, v. 17, n. 3, p. 139-165, 2017b.

MEZZOMO, Frank Antonio; PÁTARO, Cristina Satiê de Oliveira. Boa política se faz com gente do bem: candidatos evangélicos nas eleições proporcionais de 2016 em Campo Mourão, PR. Revista TEL, Irati, v. 8, n. 1, p. 197-227, jan./jul. 2017a.

MEZZOMO, Frank Antonio; Pátaro, Cristina Satiê de Oliveira; ONOFRE, Lucas. Evangélicos na política: as eleições proporcionais de Campo Mourão em 2012. Rever, São Paulo, v. 14, p. 244-264, 2014.

MIRANDA, Julia. Carisma, sociedade e política: novas linguagens do religioso e do político. Rio de Janeiro: Relume Delumará: Núcleo de Antropologia da Política, 1999.

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. Lisboa: Instituto Piaget, 1991.

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. 8 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

MONTERO, Paula. Religião, laicidade e secularismo. Um debate contemporâneo à luz do caso brasileiro. Cultura y Religión, Santiago, v. 17, n. 2, p. 13-31, 2013.

MONTERO, Paula. Secularização e espaço público: a reinvenção do pluralismo religioso no Brasil. Etnográfica, Lisboa, v. 13, n. 1, p. 7-16, maio 2009.

MONTERO, Paula. Religião, pluralismo e esfera pública no Brasil. Novos Estudos Cebrap, São Paulo, n. 74, p. 47-64, mar. 2006.

NOVAES, Regina Reyes. Crenças religiosas e convicções políticas: fronteiras e passagens In: FRIDMAN, Luiz (org.). Política e cultura: século XXI. Rio de Janeiro. Relume Dumará: ALERJ, p. 63-97, 2002.

NOVAES, Regina Reyes. A divina política: notas sobre as relações delicadas entre religião e política. Revista USP, São Paulo, n. 49, p. 60-81, mar./maio 2001.

NOVAES, Regina Reyes. Os escolhidos de Deus: trabalhadores, pentecostais e cidadania. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1985.

ORO, Ari Pedro. A laicidade no Brasil e no Ocidente: algumas considerações. Civitas, Porto Alegre, v. 11, n. 2, p. 221-237, maio/ago. 2011.

PALARD, Jacques. Médiation et institution catholique. Archives de sciences sociales des religions, Paris, n. 133, p. 9-26, jan./mar. 2006.

PALMEIRA, Moacir. Política e tempo: nota exploratória. In: PEIRANO, Mariza (org.). O dito e o feito: ensaios de antropologia dos rituais. Rio de Janeiro: Ed. Relume Dumará, 2002, p. 171-178.

PATEMAN, Carole. Garantir a cidadania das mulheres: a indiferença e outros obstáculos. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, n. 89, p. 29-40, jun. 2010.

PEDDE, Valdir. A percepção dos fiéis pentecostais quanto ao envolvimento de suas denominações na atividade política. Debates do Ner, Porto Alegre, v. 5, n. 6, p. 113-128, dez. 2004.

PEIRANO, Mariza. A análise antropológica dos rituais. In: PEIRANO, Mariza (org.). O dito e o feito: ensaios de antropologia dos rituais, Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002, p. 17-40.

PIERUCCI, Antônio Flávio. Eleição 2010: desmoralização eleitoral do moralismo religioso. Novos Estudos Cebrap, São Paulo, n. 89, p. 5-15, mar. 2011.

PY, Fábio; REIS, Marcos Vinícius de Freitas. Católicos e evangélicos na política brasileira. Estudos de Religião, São Paulo, v. 29, n. 2, p. 135-161, jul./dez. 2015.

RODRIGUES, Leôncio Martins. Mudanças na classe política brasileira. Rio de Janeiro: Publifolha, 2006.

SARMENTO, Daniel. O crucifixo nos tribunais e a laicidade do Estado. Revista Eletrônica PRPE - MPF, Recife, ano 5, p. 1-17, maio 2007.

TADVALD, Marcelo. Eleitos de Deus e pelo povo: os evangélicos e as eleições federais de 2010. Debates do NER, Porto Alegre, v. 11, n. 18, p. 83-109, jul./dez. 2010.

TADVALD, Marcelo. A demonização da política ou a política demonizada? Os evangélicos e as eleições federais de 2006. Debates do NER, Porto Alegre, v. 7, n. 10, p. 79-88, jul./dez. 2006.

Publicado

2019-12-31

Cómo citar

Callegari, R. A., Mezzomo, F. A., & Pátaro, C. S. de O. (2019). La mujer como agente religioso en lo tiempo de la política: pastoras de la Iglesia del Evangelio Cuadrangular en las elecciones de 2016 en Campo Mourão. Ciencias Sociales Y Religión/Ciências Sociais E Religião, 21, e019012. Recuperado a partir de https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/csr/article/view/12649