Mundo antigo e modelos normativos modernos
PDF

Palavras-chave

Helenização
J. G. Droysen
A. Momigliano

Como Citar

BIAZOTTO, Thiago do Amaral. Mundo antigo e modelos normativos modernos: helenização e aculturação. Revista de Estudos Filosóficos e Históricos da Antiguidade, Campinas, SP, v. 18, n. 27, p. 155–172, 2022. DOI: 10.53000/cpa.v18i27.1527. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/cpa/article/view/17243. Acesso em: 16 abr. 2024.

Resumo

Este artigo objetiva analisar o conceito de helenização, fazendo uma discussão teórica de seu surgimento, nos escritos de Johann Gustav Droysen, e suas críticas a partir da perspectiva de Arnaldo Momigliano.

https://doi.org/10.53000/cpa.v18i27.1527
PDF

Referências

ALCOCK, S. “Breaking up the Hellenistic world: survey and society” in MORRIS, I. Classical Greece: ancient histories and modern archaeologies. New York: Cambridge University Press, pp. 171- 190, 1994.

BOSWORTH, A. “Alexander the Great and the creating of the Hellenistic age”. In: BUGH, G. (ed.) The Cambridge companion to the Hellenistic world.Cambridge University Press, pp 9-27, 2006.

BURKE, P. Hibridismo cultural. São Leopoldo: UNISINOS, 2003.

CALDAS, P, SANT’ANNA, H.. “Fixar a onda de luz: a transição das épocas históricas no conceito de helenismo em Johann Gustav Droysen”. História da Historiografia, Ouro Preto, v. 01, pp. 88-101, 2008.

CARTLEDGE, P. “Introduction” in CARTLEDGE, P., GARNSEY, P., GRUEN, E. Hellenistic constructs: essays in culture, history, and historiography. Berkeley: Univ. Of California, 1997.

DROYSEN, J. Alexandre: o grande. Rio de Janeiro: Contraponto, 2010.

FUNARI, P. P. A. A Arqueologia Clássica e a construção da Antigüidade. História e-História, pp. 1-7, 07/09/2004, 2004.

FUNARI, P. P. A., GARRAFFONI, R. Discussing acculturation as an interpretive model: Romanisation as a case-study. São Paulo: MASP, 2012, Manuscrito inédito usado com autorização dos autores.

FUNARI, P. P. A., GRILLO, J. Os conceitos de “helenização” e de “romanização” e a construção de uma Antiguidade Clássica. Manuscrito inédito usado com autorização dos autores. 2012.

JONES, S. The archaeology of ethnicity: constructing identities in the past and present. London: Routledge, 1997.

MAIRS, R. “Hellenization” in BAGNALL, R., BRUDERSEN, K., CHAM.

PION, C., ERSKINE, A. HUEBNER, S. (orgs.) The Encyclopedia of Ancient History, Oxford University Press, 2011.

MÉCHIN, B. “História e poesia” in DROYSEN, J. Alexandre: o grande. Rio de Janeiro: Contraponto, pp. 15-31, 2010.

MOMIGLIANO, A. Os limites da helenização. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1991.

MOSSÉ, C. Alexandre, o Grande. São Paulo: Estação Liberdade, 2004.

PINTO, R. Duas Rainhas, um Príncipe e um Eunuco: gênero, sexualidade e as ideologias do masculino e feminino nos estudos sobre a Bretanha Romana. Tese (Doutorado em História), Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

REDFIELD, R., LINTON, R., HERSKOVITS, M. “Memorandum for the study of acculturation”, American Anthropologist, New Series, Vol. 38, No. 1 Jan. – Mar, 149-152, 1936.

SILVA, G. História Antiga e usos do passado: um estudo das apropriações sob o regime de Vichy(1940-1944). São Paulo: Annablume-Fapesp, 2007.

SOUTHARD, R. Droysen and the Prussian School of History. Kentucky University Press, 1994.

WACHTEL, N. “A Aculturação” in LE GOFF, J. & NORA, P. História: novos problemas. Rio de Janeiro, RJ: F. Alves, pp. 113-128, 1995.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Downloads

Não há dados estatísticos.