Mulheres alforriadas e o trabalho no império romano

uma leitura a partir da epigrafia latina

Autores

  • Catarina de Faria Rodrigues Universidade Estadual de Campinas
  • Filipe Noé da Silva Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.53000/cpa.v27i37/38.4675

Palavras-chave:

Arqueologia feminista, Mulheres, Trabalho, Império romano, Epigrafia latina

Resumo

Este artigo discute a atuação laboral das libertas no Império Romano a partir da epigrafia latina. Tem-se por intenção avaliar as contribuições das teorias feministas para os Estudos Clássicos, e ressaltar sua importância para a construção de uma História Antiga que possa e deva reconhecer e valorizar a experiência histórica das mulheres. Assim sendo, propõe-se a leitura de inscrições funerárias latinas de mulheres egressas da escravidão. Nesta empreitada, interessa-nos evidenciar a contribuição social e econômica das mulheres para além da exclusão proposta pela escravidão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Catarina de Faria Rodrigues, Universidade Estadual de Campinas

Bolsista FAPESP de Iniciação Científica, no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas.

Filipe Noé da Silva, Universidade Estadual de Campinas

Pesquisador colaborador do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Esdatual de Campinas.

Downloads

Publicado

2022-05-16

Como Citar

Rodrigues, C. de F., & Silva, F. N. da . (2022). Mulheres alforriadas e o trabalho no império romano: uma leitura a partir da epigrafia latina. Revista De Estudos Filosóficos E Históricos Da Antiguidade, 27(37/38), 74–93. https://doi.org/10.53000/cpa.v27i37/38.4675