Ética na publicação científica
PDF

Palavras-chave

Publicações científicas - Aspectos éticos
Ética
Boas práticas

Como Citar

CARVALHO, Alexandre Filordi de. Ética na publicação científica. Boletim Técnico do PPEC, Campinas, SP, v. 6, n. 00, p. e021013, 2021. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/boletins/index.php/ppec/article/view/9436. Acesso em: 14 abr. 2024.

Resumo

A ética na publicação científica supõe os sentidos próprios de determinada comunidade científica, do contrário, ela se dissolveria. Embora os valores produzidos, circulados e defendidos pelas práticas de uma comunidade científica se modifiquem histórica e socialmente, eles são adstritos à intencionalidade precípua de sua finalidade condicionada aos umbrais seculares. Produzir, promover, divulgar, indagar, revisar, atualizar, fornecer resultados, inovar e celebrar conhecimentos e práticas científicas aí se circunscrevem. A publicação científica é o duplo da comunidade científica: faz avançar as ciências por meio de vínculos epistêmico-comunitários na medida em que, em uma lógica de cumplicidade, fortalece o quadro científico de sua comunidade.

PDF

Referências

ARENDT, H. Entre passado e futuro. São Paulo: Perspectiva, 2007.

BACHELARD, G. Coleção “Os pensadores”. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

BERARDI, F. Asfixia. Capitalismo financeiro e insurreição da linguagem. São Paulo: UBU, 2020.

CAMPBELL, W. K.; TWENGE, J. M. The narcissism epidemic. Living in the age of entitlement. New York: Atria, 2013.

CHALMERS, A. F. O que é ciência afinal? São Paulo: Brasiliense, 2010.

CHAMAYOU, G. A sociedade ingovernável. Uma genealogia do liberalismo autoritário. São Paulo: UBU, 2020.

CNPQ. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Ética e integridade na Prática Científica. Brasília: CNPq, 2011. Disponível em: https://bit.ly/3wueU6g. Acesso em: 19 fev. 2021.

DESCOMBES, V. Le complément de sujet. Enquête sur le fait d’agir de soi-même. Paris: Gallimard, 2004.

ESPOSITO, R. Immunitas: protezione e negazione della vita. Turim: Einaudi, 2002.

ESPOSITO, R. Bios. Biopolítica e Filosofia. Lisboa: Edições 70, 2010.

FAPESP. Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo. Revista Pesquisa. 2021. Disponível em: https://revistapesquisa.fapesp.br/panorama-das-retratacoes/. Acesso em: 20 fev. 2021.

FEYERABEND, P. Contra o método. São Paulo: Editora da Unesp, 2011.

FOUCAULT, M. As palavras e as coisas. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

FOUCAULT, M. O governo dos vivos. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

GRC. Global Research Council. Statement of Principles on Mission-Oriented Research. 2020. Disponível em: https://www.globalresearchcouncil.org/fileadmin/documents/GRC_Publications/Sof/new_logo_2020_GRC_FINAL_Statement_of_Principles_Mission-oriented_Research.pdf. Acesso em: 20 fev. 2021.

LIPOVETSKY, G. A sociedade pós-moralista: o crepúsculo do dever e a ética indolor dos novos tempos democráticos. São Paulo: Manole, 2005.

ROSE, N. Inventando nossos selfs. Psicologia, poder e subjetividade. Petrópolis: Vozes, 2011.

RW. Retraction Watch. The Retraction Watch Transparency Index. 2021a. Disponível em: https://retractionwatch.com/the-retractionwatch-faq/transparencyindex/. Acesso em: 21 fev. 2021.

RW. Retraction Watch. Retraction Watch Database User. 2021b. Disponível em: https://retractionwatch.com/retraction-watch-database-user-guide/retraction-watch-database-user-guide-appendix-b-reasons/. Acesso em: 21 fev. 2021.

SAINT-SERNIN. A razão no século XX. Rio de Janeiro: José Olympio, 1998.

SINGER, P. Vida ética. Rio de Janeiro: Ediouro, 2002.

STENGERS, I. No tempo das catástrofes. Resistir à barbárie que se aproxima. São Paulo: CosacNaify, 2015.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Alexandre Filordi de Carvalho

Downloads

Não há dados estatísticos.